Entenda como o laser de baixa intensidade (LBI) pode ajudar as puérperas


O uso da laserterapia de baixa intensidade como ferramenta terapêutica auxilia nas complicações do puerpério, assim como contribui para um período pós-parto mais tranquilo e sem dor. Os estudos já comprovam a eficácia clínica do LBI em traumas mamilares, feridas cirúrgicas, lesões na região mamilo-areolar. Algum destes problemas, quando não são tratados, podem acarretar outras complicações como a entrada para bactérias que levam ao desenvolvimento de infecções como a mastite puerperal e o abscesso mamário, além do desmame precoce.

 

Mas, o que é o laser?

O termo laser significa amplificação da luz por emissão estimulada de irradiação e foi idealizado desde 1917, por Albert Einstein, que propôs os seus princípios físicos. O primeiro feixe de luz laser foi criado em 1960. Vários estudos e equipamentos de laserterapia de baixa intensidade – LBI (< 500 mW) surgiram nas últimas décadas e seus benefícios terapêuticos e bioestimulatórios nas células humanas já foram comprovados.

 

Qual é a utilização do laser?

Vários autores, de diversas áreas como engenharia, medicina, odontologia, fisioterapia, enfermagem, fonoaudiologia entre outros vivenciam em sua prática os benefícios do seu uso, como o reparo de diferentes tecidos superficiais e profundos, o aumento da vascularização, síntese de colágeno pelos fibroblastos, controle da produção de substâncias liberadas na dor e inflamação, entre outras.

Segundo pesquisas científicas nacionais e internacionais, várias situações patológicas se usa o laser como: cicatrização da pele como queimaduras, úlceras de decúbito, deiscências pós-cirúrgica, herpes, mucosite, alterações músculo-esqueléticas, infecções fúngicas em pele e unhas, urgências odontológicas, entre outras. Como LBI também é possível realizar laserpuntura e ILIB (Irradiação Intravascular do Sangue com Laser), a qual contribui para prevenção e tratamento de diversas doenças, por exemplo, artrite, artrose, inflamações e tensões musculares, doenças crônicas (diabetes, colesterol, hipertensão, etc), bem como, favorecem o rejuvenescimento, o bem-estar e a qualidade de vida. E, uma vantagem: seus efeitos podem ser verificados desde as primeiras sessões.

 

Laserterapia para as complicações do puerpério

O tratamento com laser durante o puerpério é considerado complementar (coadjuvante) à avaliação clínica detalhada e outras condutas cabíveis a cada caso, por isso deve ser indicada por profissionais habilitados e especializados em cada área, a fim de garantir resultados satisfatórios.

Que tal se especializar em Laserterapia?
Confira nossas turmas abertas por todo o Brasil!