As melhores práticas para uma introdução alimentar que prioriza a autonomia do bebê

 

BLW – Baby Led Weaning em português, na tradução literal, seria algo como desmame guiado pelo bebê ou desmame no ritmo do bebê, embora não signifique o fim da amamentação; e tem se tornado conhecido no Brasil há pouco tempo, com o lançamento do livro de Gill Rapley e Tracey Murkett intitulado: “Baby-led weaning: o desmame guiado pelo bebê” – 2017.

 

foto da capa do livro BLW baby led weaning de Gill Rapley

Visitar o site da editora Timo

 

Basicamente, o BLW trata-se de um jeito de introduzir sólidos na alimentação infantil usado há gerações e gerações de famílias, mas que, mais recentemente, recebeu um nome formal. Não tem novidade, não tem tecnologia. É simples, e traz muitas vantagens – leia também nossa matéria sobre as vantagens e desvantagens do BLW.

Abaixo, nós selecionamos as melhores práticas para quem pretende aderir a esta abordagem na introdução alimentar, boa leitura!

  • 6 coisas que você DEVE fazer:
     

    1) Cuidado com a posição do bebê: garanta que o bebê esteja apoiado em uma posição erguida quando estiver experimentando os alimentos. Se precisar, coloque o bebê em seu colo, de frente para a mesa, ou use toalha enrolada ou almofadas para ajustar o bebê na altura correta da mesa ou bandeja do cadeirão.

    2) Comece pelo mais fácil: no início, priorize os alimentos que são fáceis de pegar – exemplo, alimentos no formato de palitos grossos. Na medida do possível (quando adequados), ofereça ao bebê os mesmos alimentos que você estiver comendo para ele se sentir parte. No início, o bebê não consegue comer o que está dentro de seu punho, por isso, ofereça mais quando ele terminar de comer as “pontas” e não espere que ele comerá tudo.

    3) Varie os alimentos: não há a necessidade de limitar a experiência de seu bebê com a comida. É importante não abarrotá-lo a cada refeição, e oferecer diferentes sabores e texturas ao longo da semana, que irá dar uma ampla gama de nutrientes ao bebê além de ajudar a desenvolver as habilidades para comer.

    4) Continue com a amamentação: seja aleitamento materno ou fórmula, não diminua a quantidade de mamadas que o bebê costuma mamar. O padrão de consumo do leite muda muito gradualmente, à medida que ele começar a comer mais.

    5) Converse com o pediatra: em casos de histórico familiar de alergias, intolerância ou problemas digestivos, converse com o pediatra sobre a introdução dos alimentos sólidos.

    6) Explique: explique como o BLW funciona para qualquer pessoa que estiver cuidando do seu bebê.

       
  • 6 coisas que você NÃO deve fazer:
     

    1) Sal, açúcar, fast-food: não ofereça ao bebê alimentos que não farão bem a ele, assim como comidas prontas ou alimentos com adição de sal e açúcar. Mantenha longe do alcance dele os alimentos que apresentam um perigo evidente de engasgo.

    2) Diminuir a oferta do leite: não ofereça ao seu bebê alimentos sólidos quando ele tiver fome de leite.

    3) Pressa e distrações: não apresse ou distraia o bebê. Deixe que ele se concentre enquanto estiver manipulando os alimentos e que ele determine o próprio ritmo.

    4) Não coloque comida na boca do bebê: deixar que ele tenha controle do que vai à boca é um importante aspecto de segurança do BLW. Fique atenta as outras crianças que podem ser prestativas com o bebê na hora da refeição.

    5) Não convença seu bebê a comer mais do que ele quer: não é necessário manipulá-lo, suborná-lo, ameaçá-lo ou fazer brincadeiras para conseguir isso.

    6) NUNCA deixe seu bebê sozinho com a comida.

Você sabia que nós oferecemos opções de cursos para pais e para profissionais da área da saúde sobre este assunto?

Conheça nosso Curso de Introdução Alimentar com Coaching de Carreira e nosso Workshop de BLW para pais. Turmas abertas, aproveite!