Entenda a importância das redes sociais para profissionais liberais e pequenas empresas

 

Você deve ter percebido que, ao menos desde 2012 – últimos 5 anos, os hábitos da maioria das pessoas tem mudado em relação ao uso de smartphones e interações nas redes sociais. Com o passar do tempo, cada vez mais estes “celulares inteligentes” tem se tornado indispensáveis na rotina de boa parte das pessoas, reunindo aplicativos e funções diversas, tudo de forma intuitiva e muito prática.

As pesquisas mais recentes apontam o Brasil como a capital mundial do social media (mídias sociais) indicando que os brasileiros não só adoram fazer parte parte de redes sociais como também influenciam a opinião de muita gente neste meio. É por isso que os investimentos em publicidade, marketing e conteúdo das empresas nas redes sociais são crescentes, há anos.

 

Tá, mas isso faz sentido pra mim?

Faz. Mesmo no caso de pequenas empresas ou profissionais liberais, como doulas, consultoras, coaches, professores, instrutores, etc, seu público igualmente estará presente nas redes sociais, e é lá que você deve estar. Enquanto profissional, recomenda-se que você seja familiarizada com, no mínimo, uma rede social de preferência (as mais comuns no Brasil são o Facebook e o Instagram) – se possível, onde seu público estiver em maior número, e que faça uso constante.

 

Mas, como?

O uso de um bom smartphone (que tenha um bom processamento de dados, para não ficar travando, uma câmera boa e de fácil manuseio) ajuda bastante. Participar das redes sociais acessando pelo celular é um hábito e uma grande facilidade atualmente. Isso não impede você de acessar pelo computador, é claro. Se você não se sente à vontade com a rede social, peça a uma pessoa que lhe explique as principais informações: como funciona, qual o tipo de conteúdo que é compartilhado, como as pessoas costumam reagir, como fazer publicações pessoais, etc. Lembre-se que você pode recorrer ao google para tirar algumas dúvidas e a seção de “help” que toda rede social costuma disponibilizar.

 

Recomendações básicas!

Não adianta ter apenas um perfil, é importante ser ativo na rede social. Esta é a primeira recomendação, porque quem não é visto não é lembrado, certo? Para ser ativo, além de fazer publicações próprias, é importante interagir com as outras, comentando, curtindo, compartilhando, incentivando algumas ideias e conversas com as pessoas e marcas. Quando for criar uma publicação própria, seja criteriosa para escolher o conteúdo e a foto, pois mesmo conseguindo fazer algumas restrições de visibilidade para se ter privacidade, que variam de rede social para rede social, exponha somente algo que seja relevante e que seja adequado ao meio. Exemplos: fotos ou textos relacionados a intimidade de casal ou intimidade da criança, preconceitos, tragédias e mesmo crenças espirituais, no geral, não são conteúdos recomendados. E, uma dica básica e muito importante: preencha suas informações de forma correta e clara: use uma foto de perfil que mostre quem é você, mantenha seus dados de contato atualizados (cidade, e-mail, telefone, site) e experiência profissional e acadêmica – quando for o caso; assim, você tem mais chance de ser encontrada por quem estiver te procurando e irá melhorar suas interações na rede.

 

Uma coisa temos que admitir: o ser humano é naturalmente curioso, comunicativo e que se relaciona em redes. Com o crescimento da internet e da tecnologia, os recursos que temos atualmente facilitam estas interações – que são naturais das pessoas e sim, elas vieram para ficar. Cabe a nós saber utilizá-las da melhor forma possível. Inclusive, em nossos cursos para doulas e de aleitamento materno, uma das disciplinas aborda marketing e empreendedorismo, com orientações práticas relacionadas às redes sociais, pois reconhecemos a importância disso para nossas alunas.

Se você gostou, deixe seu comentário abaixo ou compartilhe este texto com seus amigos. AH! Esta era uma última dica, incentive as pessoas a interagirem para aumentar a relevância da publicação. Até a próxima!