Os benefícios para mãe e bebê

 


O ato de amamentar
É a primeira vacina,
É o primeiro olhar,
O abraço, a proteção
O vínculo familiar.
Por que amamentar?

 

A poesia transmite o valor da amamentação, do contato íntimo mãe e bebê que esta proporciona, além da nutrição.

O colostro tem pouca gordura, mas muitos fatores imunológicos. Por isso, bebês perdem peso nos primeiros dias e/ou podem ganhar pouco peso no início, em torno de até uns 10 a 15 dias. A natureza sabe, melhor que nós, que nos primeiros dias de nascido, todo filhote precisa mais de proteção do que de ganhar peso e um tempo para amadurecimento dos órgãos da digestão, como o fígado.

A perda de peso inicial se deve ao fato de que as crianças são pesadas imediatamente após nascerem e elas já contem dentro de si urina, fezes (mecônio), secreções na pele e com edemas (hormônios da gestação). Já no primeiro dia começam a perder peso, porque eliminam as fezes, a urina e “desincham” ao longo dos dias seguintes. Esta perda é fisiológica e eles não precisam ganhar peso de imediato, mas sim do contato íntimo com seu ninho (mãe), da proteção do leite materno (gotas de colostro), da incubadora natural (calor, colo e abraço maternos).

 

Amamentação faz bem para a mãe e para o bebê!

O leite da mãe possui todos componentes próprios para a natural digestão, absorção e eliminação (metabolismo humano) da espécie humana, capaz de satisfazer todas necessidades até os seis meses de vida da criança, e na fase de alimentação complementar, o leite materno continua a fornecer importantes nutrientes até os dois anos ou mais, como vitaminas, proteínas, sais minerais, gordura, etc. Enquanto houver leite na mama, há fatores de proteção! Previne várias doenças, como as infecciosas, as diarreias e, a longo prazo, a obesidade, hipertensão, diabetes, etc.

A natureza lembra da mãe que amamenta! Oferece benefícios a sua saúde também: menor risco de hemorragia pós parto, melhor recuperação do funcionamento dos órgãos internos ao estado de antes da gestação, menor risco de câncer de mama, ovário, menor risco de osteoporose na pós-menopausa.

O ato da criança sugar na mama leva a um desenvolvimento mais adequado da musculatura e ossos da face; previne mal formações na arcada dentária e distúrbios da respiração, melhora a articulação das fala. A composição espécie-específica do leite materno favorece o desenvolvimento do cérebro, da mucosa gastrointestinal, do funcionamento renal, enfim, todos os órgãos amadurecem na forma mais natural, o que garante melhor qualidade de saúde por toda a vida da criança amamentada.

Esta é a melhor embalagem para o alimento de seu filho. E o melhor berço. Recuse imitações! 😉