AMAMENTAR. Ninguém pode fazer por você. Todos podem fazer junto com você.

Tema central da Semana Mundial de Aleitamento Materno deste ano – SMAM2017 – incentiva que sejamos conscientes de nossa ação de apoio à lactante na sociedade. Porém, antes de sabermos como oferecer este apoio, é importante entendermos quais são os objetivos da SMAM para perceber a relevância desta semana para todas nós:

  • Buscar o apoio dos governos e diversos setores da sociedade para promover, proteger e apoiar a amamentação.
  • Construir alianças sem conflitos de interesses para fortalecer as políticas e programas de aleitamento materno e alimentação infantil.
  • Mobilizar e desenvolver ações para a promoção, proteção e apoio à amamentação e práticas adequadas de alimentação infantil.

Se, por um lado, ninguém pode amamentar pela lactante, por outro lado, esta mãe não conseguirá fazer isso sozinha. E, é por isso que o aleitamento materno nunca deve ser tido como uma ação solitária, o apoio é fundamental. Entenda como você pode ajudar:

Na família: valide a decisão desta mãe e ofereça ajuda para a nutriz, garantindo um ambiente tranquilo para ela, especialmente nas primeiras semanas de adaptação, que são tão demandantes fisicamente e psicologicamente. Você também pode evitar comentários e opiniões que enfraqueçam a mulher.

Na comunidade: considere que amamentar onde quer que seja não seja hostil para esta mãe, seja natural, que haja espaços que facilitem esse momento.

Profissional: o apoio profissional especializado em aleitamento materno além de validar a decisão desta mãe, irá atendê-la em caso de necessidades específicas (dificuldades com a mama ou com o bebê) e fortalecendo a manutenção do ato pelo tempo desejado.

Nas políticas públicas: com o Estado formulando e implementando políticas públicas de incentivo e apoio a amamentação, diretrizes para os profissionais dos setores da saúde, da educação, regulação e fiscalização da oferta de substitutos e propagandas.

Tenha certeza que uma rede de amparo SEMPRE se fará necessária com uma lactante e um bebê.

 

Fonte: Oficina BLW – por Melina Caldani e Folder SMAM 2017